14/11/2017 14h24 - Atualizado em 14/11/2017 14h47

Workshop debate a produção de citros em Alfredo Chaves

Foto: Alciro Lamão
Poda, manejo de pomares, controle fitossanitário, adubação, calagem, entre outros assuntos pertinentes à cultura foram tratados durante o workshop.

O Polo de Tangerina do Espírito Santo conta com os cursos realizados pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) para fortalecer a atividade. Para isso, o escritório local Alfredo Chaves levou a mais de 50 pessoas, entre agricultores familiares e autoridades, informações que envolvem a atividade produtiva em questão.

Trata-se de um workshop realizado no município, envolvendo temas como poda, manejo de pomares, controle fitossanitário, adubação, calagem, entre outros assuntos pertinentes à cultura, ministrados pelos pesquisadores do Incaper, Sebastião Antônio Gomes, Hélcio Costa, Maurício Fornazier e César Khroling.

O município atualmente conta com uma área de 100 hectares de citros plantados, com 60% de tangerina Ponkan. “É importante esse diálogo com os produtores, incluindo os que estão começando a investir na produção. O município tem solo e clima para produzir tangerinas muito aceitas no mercado do Estado e fora dele.  Mas, ainda enfrentamos alguns gargalos, como a perda de produção por pragas e doenças. Os cuidados são fundamentais”, disse o extensionista do Incaper e chefe do escritório local, Alciro Lamão Lazzarini.

Esse ano já foram produzidas 37 mil caixas de Ponkan de boa qualidade, que foram vendidas no Ceasa em Cachoeiro de Itapemirim e no Rio de Janeiro, além da distribuição para as merendas escolares contempladas no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e no Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae).

Em 2016, o projeto do Incaper "Polo de Tangerina: do plantio à comercialização", coordenado pelo pesquisador Sebastião Antônio Gomes foi um dos vencedores na categoria "Práticas Transformadoras", na 11ª edição do Prêmio Inoves. O objetivo foi contribuir para o fortalecimento socioeconômico de Alfredo Chaves, por meio da introdução da tangerina Ponkan. Isso tudo após ter a produção da banana figo afetada, na comunidade de São Joaquim, devido ao fusarium, o que levou a problemas econômicos e sociais no setor, ocasionando diminuição de emprego e renda, além da saída de muitos jovens do meio rural.

“Essas ações têm motivado os agricultores, como uma atividade promissora no que diz respeito a diversificação de cultura nas propriedades, com foco no aumento de renda das famílias”, contou Alciro.

O evento em questão contou com o apoio das autoridades locais e da Vice-Governadoria do Espírito Santo.

Informações à imprensa:

Assessoria de Comunicação do Incaper
Juliana Esteves - juliana.esteves@incaper.es.gov.br
Luciana Silvestre Girelli – luciana.silvestre@incaper.es.gov.br
Tatiana Caus – tatiana.souza@incaper.es.gov.br
Vanessa Capucho - vanessa.covosque@incaper.es.gov.br

Texto: Tatiana Caus

Tel.: (27) 3636-9865 / (27) 3636-9868
Twitter: @incaper
Facebook: Incaper

 

 

Tópicos:
polo, tangerina, renda
2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard