Tecnologias - Culturas Alimentares

Pesquisas na área de culturas alimentares também foram desenvolvidas pelo Incaper ao longo dos anos. Confira:

ARROZ

‘ALIANÇA’: CULTIVAR DE ARROZ IRRIGADO PARA O ESPíRITO SANTO
Oriunda do cruzamento triplo 4440/BG 90-2/Tetep, realizado na Colômbia, a variedade ‘Aliança’ é de ciclo médio e vem ampliar a diversidade genética, contribuindo para a redução dos riscos de perdas na produção, especialmente em relação às doenças e à toxidez do ferro, tornando-se portanto, mais uma opção varietal para o produtor.

‘EMCAPA 104 – ITAPEMIRIM’
Introduzida no Espírito Santo em 1991, a cultivar superou outras cultivares recomendadas para o sistema de cultivo irrigado no Estado, não apresentando sintomas provocados por doenças ou estresse ambientais em nenhum dos experimentos. Apresenta grãos longos e finos, com alto rendimento de inteiros, de excelente aspecto e boas características culinárias

 

FEIJÃO

FEIJÃO ‘VITÓRIA’
Cultivar melhorada, oriunda da Colômbia, que apresenta produtividade média de 1. 481 kg por hectare, tolerância à bacteriose e à antracnose susceptibilidade à ferrugem e à mancha-angular, é recomendada para todo o Estado.

‘CAPIXABA PRECOCE’
Cultivar melhorada, de origem colombiana, apresenta produtividade média de 1.510 kg por hectare e é recomendada para todo o Estado. Tolerância à antracnose, à bacteriose.

RIO DOCE: NOVA VARIEDADE DE FEIJÃO DE COR PARA O ESPÍRITO SANTO
A variedade de feijão Rio Doce, oriunda do Centro Internacional de Agricultura Tropical - CIAT/Colômbia, é resultante do cruzamento entre ‘Carioca’ x ‘BAT 76’. Em relação à variedade Carioca, apresenta vantagens de maior produtividade, tolerância à mancha-angular e porte ereto, com inserção da primeira vagem mais alta favorecendo a colheita mecânica e melhorando a qualidade das sementes.

‘EMCAPA 404 – SERRANO’
Lançado para as regiões produtoras acima de 300m de altitude, a cultivar de feijão-preto atendeu à demanda por uma solução para as altas perdas que vinham sendo causadas pela antracnose, principal doença do feijoeiro em locais de temperaturas mais baixas, como a Região Serrana do Estado. Além de resistente à antracnose e apresentar boa produtividade, o ‘Emcapa 404 – Serrano’ é tolerante às principais doenças da cultura.

‘EMCAPA 405-GOYTACAZES’
Introduzida no Estado em 1987, a cultivar do grupo carioca apresenta as seguintes vantagens em relação à ‘Carioca’ tradicional: maior produtividade de grãos; tolerância às doenças mancha-angular e murcha-defusarium, altamente prejudiciais à cultura do feijoeiro; porte ereto que facilita as operações mecânicas na lavoura e evita o contato direto das vagens com o solo e possíveis danos. Além disso, a cultivar atende às diferentes condições edafoclimáticas do Estado.

 

MILHO

‘EMCAPA 201’
Primeira variedade de milho oriunda de um trabalho de melhoramento a ser lançada no Espírito Santo, a ‘Emcapa 201’ respondeu a uma demanda por variedades melhoradas de milho mais rústicas, mais produtivas, precoces e de porte mais baixos que os materiais até então comumente plantados no Estado. Outra vantagem é o fato de que essa variedade possibilita que os agricultores utilizem as sementes colhidas de seu campo para o próximo plantio.

‘EMCAPA 301’
O plantio de variedades locais degeneradas por sucessivos cultivos e utilização de sementes de híbridos impróprias para o tipo de agricultor que predomina no Estado eram um dos principais fatores que acarretavam a baixa produtividade média da cultura de milho no Espírito Santo. A cultivar lançada pelo Incaper se destacou por apresentar ampla adaptação, estabilidade de produção e características agronômicas superiores às variedades lançadas no Estado até aquele momento, mostrando-se adequada para produtores que adotavam baixa ou média tecnologia e que poderiam utilizar a semente colhida de seu campo para os próximos plantios.

‘EMCAPA 202 OURO-VERDE’
A variedade ‘Emcapa 202 Ouro-Verde’ foi desenvolvida pelo Incaper e mostrou-se 17% mais produtiva do que a variedade que a antecede (‘Emcapa 201’). Apresenta boa estabilidade de produção, adaptabilidade, bom empalhamento e sanidade de espiga, tolerância à seca e baixa percentagem de quebramento de plantas e de espigas, sendo uma variedade adequada para produtores de baixo e médio nível tecnológico e econômico. Por ser uma planta mais rústica, oferece menor custo de sementes em comparação aos híbridos de linhagens. Outra vantagem para o produtor é que a semente pode reutilizada em plantios subsequentes.

‘CAPIXABA INCAPER 203’
Fruto de quase duas décadas de pesquisa, a ‘Capixaba Incaper 203’ apresenta alta produtividade, boa estabilidade de produção, tolerância às principais doenças foliares e de grãos, à seca e ao acamamento e quebramento de plantas. Suas sementes podem ser reutilizadas em plantios subsequentes. Sua cor avermelhada leva à produção de alimentos mais apreciados pelos consumidores.

Soluções tecnológicas recomendadas pelo Incaper
Milho - 60 cultivares de milho para o Espírito Santo: 50 destinadas à produção de grãos e 10 à silagem.

<< voltar

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard
Google Analytics - Incaper